Edição #19 – Setembro de 2014

#19_JCIT setembro 14.indd

Edição 19 do JCIT – publicada dia 4 de Setembro de 2014

Anúncios

Caçadores de Espécies é o primeiro longa-metragem brasileiro sobre ufologia

CAPA CAÇADORES 2

Por Everton Mossato

O filme foi apresentado pela primeira vez ao público em uma sessão no Cine Guarani no dia 15 de fevereiro. A exibição contou com a presença de boa parte dos apoiadores do filme, da imprensa e de vários entusiastas do cinema paranaense. Totalmente independente, o filme Caçadores de Espécies e o Símbolo Secreto, precisou de muito empenho para ser realizado.

O ufólogo Ruidael Marques, que também é o produtor, roteirista e ator no filme, tocou este projeto ao lado do produtor, roteirista e protagonista, Guata Maftum e do diretor e editor Nyck Maftum. O desdobramento de cada membro da equipe, cumprindo mais de uma função no filme, é o reflexo de como é difícil filmar no Brasil, sobretudo fora do eixo Rio-São Paulo. “Você tem que lutar muito para conseguir recursos”, resume Ruisdael.

Caçadores de Espécies se enquadraria como uma produção de baixo orçamento, que fica entre 1 e 3 milhões de reais. Porém, com a ajuda recebida os produtores afirmam que não chegaram a gastar esta quantia.

O longa levou três anos para ser concluído. Um ano foi dedicado ao roteiro, assinado por Ruisdael Marques e Guata Maftum e acompanhado de perto pelo diretor Nick Maftum. “Eu o Guata e o Nick fizemos reuniões intermináveis para decidir detalhes do filme, como locações e efeitos especiais”, conta Ruisdael.

O restante do tempo de produção do filme foi dividido entre captação de recursos, filmagens e edição. Um ponto que exigiu muita paciência e habilidade dos produtores foi conciliar a agenda de filmagem com a agenda particular da equipe, composta por 90 profissionais e mais 103 figurantes. “Além de ter a dificuldade de adequar o roteiro aos nossos recursos e a agenda da equipe, ainda contamos com a adversidade do clima de Curitiba”, explica Ruisdael. “Na cena do cemitério nós queríamos gravar com chuva, adquirimos um equipamento especial para gravar nestas condições. Filmamos o primeiro dia e não chovia mais. Para dar continuidade à cena fizemos chover literalmente. Chamamos toda a equipe (90 pessoas) e com mangueiras e baldes molhamos tudo para que o espectador não sentisse a diferença na cena”, revela Ruidael Marques.

foto divulgação

O FILMECaçadores de Espécies e o Símbolo Secreto é uma ficção cientifica sobre ufologia em que militares repetem um experimento norte americano malsucedido chamado “Projeto Filadélfia”. O longa, inspirado no livro Além da nossa vã filosofia escrito por Ruisdael Marques, começa com depoimentos de ufólogos, religiosos, astrônomos, autoridades civis e militares sobre a existência de seres extraterrestres. Um grande trunfo do filme é o depoimento do Suíço Erich Von Daniken, autor do Best Seller Eram os Deuses Astronautas?.  “Nem o Spielberg conseguiu a participação do Von Daniken em seu filme. E nós conseguimos, isso foi um grande feito”, conta eufórico Ruisdael.

O argumento principal do filme se baseia no Projeto Filadélfia, um experimento real que ocorreu em 1943 nos Estados Unidos. Para pesquisa Ruidael contou com um raríssimo livro sobre o assunto, que foi recolhido pelo governo americano. Colecionador de livros, com mais de 3 mil títulos, o ufólogo conta que levou mais de dez anos para adquirir o exemplar sobre o Projeto Filadélfia. “Acredito que eu seja o único no Brasil a possuir este livro. É uma parte da história que eles quiseram esconder”, diz Ruisdael.

Em Caçadores de Espécies e o Símbolo Secreto, este experimento afeta a estabilidade magnética da terra e provoca uma intervenção extraterrestre. O personagem “ALSET” (interpretado por Ruisdael Marques) é o representante do “Povo das Estrelas” e traz mensagens de paz e esperança para um grupo de ufólogos que terão que preparar seu povo para um possível contato. O Capitão Maftum (Guata Maftum) tem a missão de decifrar a linguagem dos Deuses através de antigos símbolos secretos espalhados pela cidade de Curitiba. Depois de conseguir decifrar os símbolos secretos, o Capitão tem em suas mãos a decisão sobre a intervenção extraterrestre e o destino da humanidade.

Rodado em locações como o Largo da Ordem, Cemitério Municipal e Ordem Rosa Cruz, o filme é um belo passeio pela cidade. “A gente queria mostrar coisas ocultas da cidade. Percorremos quase toda a extensão dos túneis subterrâneos de Curitiba. Os símbolos que estão escondidos pela cidade, retratados no filme, são reais. Não é montagem nossa”, conta Ruisdael.

O longa conta com a forte presença de elementos da maçonaria, religião e, sobretudo da ufologia. Tanto que Rafael Cury, ufólogo de renome, é consultor do filme.

A trilha sonora apresenta músicas de Curitiba, como Marcianos, da Relespública e Déjàvu, do Plá, composta para o filme.  Os paulistanos do Confuzi e o doom metal da banda Archityrants integram a trilha.

FUTURO – Caçadores de Espécies será uma trilogia. Com a primeira parte concluída, os produtores tem a expectativa de conseguir novos apoiadores para dar continuidade às filmagens. O filme participará de diversos festivais, dentro e fora do país, para depois entrar no circuito comercial de cinema. O longa terá legendas em Espanhol, Inglês, Francês e Indiano. “A Índia é um mercado promissor para esse gênero de filme, por isso queremos entrar lá também”, informa o diretor Nick Maftum.

O assunto a ser abordado no segundo filme da trilogia já está definido. Será sobre a Operação Prato. Este fenômeno é tido como o segundo caso de ufologia mais famoso no mundo. Atrás apenas do caso Roswell.  O anúncio do tema do próximo filme repercutiu entre os ufólogos do mundo todo.

CAÇADORES DE ESPÉCIES & O SÍMBOLO SECRETO

Direção, Edição e Efeitos Especiais: Nicky Maftum

Roteiro e Produção: Guata Maftum e Ruisdael Marques

Direção de Fotografia: Lucas Botega

Desenho de Som: Danilo Custódio

Consultoria: Rafael Cury

Mais informações:  nycksoftware.blogspot.com.br e facebook.com/cacadoresdeespecies